quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

PCCR, PR e TCE


Muitas siglas e um problemão!


PCCR - Plano de Carreira Cargos e Salários

TCE -Tribunal de Contas do Estado

PR - Partido da República

Depois de explicadas o significado das siglas, vamos a explicação:

O PCCR do funcionalismo de Cabo Frio foi aprovado ano passado sob muita pressão dos servidores. A Câmara o aprovou, e o ex-prefeito Marquinhos Mendes (que nunca pagou um PCCR) sancionou, portanto, virou lei. Com isso o prefeito eleito deveria pagar o PCCR em 2013.

O Prefeito eleito Alair Corrêa (PP), se reuniu com servidores da cidade (que estavam em greve devido a demora na aprovação da câmara em votar o PCCR) e garantiu o pagamento aos servidores que voltaram a ativa.

O PR do ex-governador Garotinho, que integrou a base de partidos aliados do prefeito eleito, impetrou no dia 23 de janeiro Ação Direta de Inconstitucionalidade com pedido de liminar para suspender o PCCR.

Portanto, foram aliados do prefeito que foram contrários a aplicação do PCCR. Segundo esses aliados, se a prefeitura pagar, o prefeito pode se tonar inelegível.

Me desculpe a minha ignorância, mas perguntar não ofende:

O Prefeito não teve suas contas desaprovadas pelo mesmo TCE no passado e não continua elegível?

Essa eu não entendi, mas tenho uma teoria:

O Prefeito quer forçar a aprovação de outro PCCS, para que os servidores não lembrem de seu adversário político que aprovou, mas nunca pagou um PCCR.

Não tem sentido?
  

Fiquemos atentos!



3 comentários:

  1. Desculpe, mas sua observação não tem sentido, pois acontece o seguinte: Alair sempre foi contra o PCCR e não quer cumprir a lei.... Ele não teve coragem, descência e honestidade em dizer isso durante a campanha, mas agora pediu a seus amigos q trabalhassem contra. A verdade é uma só: os servidores de Cabo Frio caíram em mais um conto de fada criado pelo Alair..... Ele faz isso a muitos anos e continuará fazendo, enquanto o povo deixar.

    ResponderExcluir
  2. Me permita apenas uma correção: o motivo da greve não foi a aprovação do PCCR. Quando iniciamos as paralisaçõese, posteriormente, a greve o motivo foi a demora da Câmara em aprovar a LOA (mais uma sigla!) que é a Lei Orçamentária Anual, garantindo receita orçamentária pra pagamento dos funcionários de acordo com o PCCR. A Câmara aprovou a LOA com emendas propostas pelos alaidos do Alair, por isso a greve só acabou quando ele firmou com os funcionários um compromisso de pagar o plano. Como todos sabem, a promessa do prefeito não foi cumprida e dia 7 de fevereiro nos reuniremos em Assembleia Unificada para decidir os próximos passos do funcionalismo.

    ResponderExcluir
  3. Perfeito Cíntia! Foi a aprovação da LOA que viabilizava o pagamento do PCCR, se não fosse aprovado, o orçamento de 2012 deveria ser repetido. Eu que quis resumir e cometi esse engano, muito bem corrigido por você. Obrigado pela contribuição!

    ResponderExcluir